Terça-feira, 28 de junho de 2022

O projeto" Museu Aqui e Agora e o Futuro que lá Mora foi um projeto-piloto por iniciativa da Câmara Municipal de Sintra, que contou com o co-financiamento do Programa PróMuseus da Rede Portuguesa de Museus e com a parceria, para o seu desenvolvimento e implementação, da Rede de Bibliotecas Escolares, envolvendo os seis museus municipais e os vinte Agrupamentos de Escolas do Concelho e respetivas Bibliotecas Escolares.

No dia 27 de junho, reuniram-se todos os professores participante e professores bibliotecários juntamente com a representatividade da Câmara de Sintra, dos representantes dos Museus, as ilustradoras, Danuta Wojciechowska e Joana Paz, a representante da RBE para a apresentação dos trabalhos finais. 

Foi um cenário de cor e diversidade com os trabalhos dos alunos das diferentes escolas do concelho de Sintra.

Na nossa escola, a turma foi o 5º E, com a participação dos professores Paula Carvalho e Jorge Serqueira e a PB Paula Ferreiro.

Os alunos tomaram contacto e leram o livro Dias irmãs em Odrinhas, construíram histórias alternativas a partir das imagens; visitaram a exposição itinerante de 6 totens na biblioteca - cada totem representa um dos 6 museus - e realizaram guiões de trabalho; visitaram o Museu Arqueológico de São Miguel de Odrinhas e realizaram um oficina com a ilustradora Joana Paz; tiveram a visita da escritora do livro Guilda Nunes Barata e o projeto finalizou com a construção de um totem criativos após a oficina de artes com a ilustradora Joana Paz. 

Todos estão de parabéns pela diversidade do trabalho realizado, pelo empenho e criatividade.




 





                                                                                                                                                                                    































Primeira publicação da obra ‘O Diário de Anne Frank’: 25 de junho de 1947


 

    Referimos hoje os 75 anos decorridos sobre a primeira publicação de uma obra lida pelos nossos alunos do 3.º ciclo, quer como projeto individual de leitura, quer como leitura para informação e estudo em sala de aula.

 

    «Anne Frank morreu no campo de concentração de Bergen-Belsen, em 1945, a dois meses do final da guerra na Europa. O seu diário, um dos livros de não ficção mais lidos em todo o mundo, foi publicado pela primeira vez em 1947, por iniciativa do seu pai. Setenta e cinco anos depois, a Livros do Brasil lança uma edição aumentada da versão definitiva de O Diário de Anne Frank, que inclui novo prefácio, cronologia, glossário e biografias.»


   "Espero poder confiar-te tudo, como nunca pude confiar em ninguém, e espero que venhas a ser uma grande fonte de conforto e apoio”, escreveu Anne no seu célebre diário, a 12 de Junho de 1942, dia do seu 13º aniversário. 


   Durante dois anos, a jovem registou a sua experiência durante a ocupação nazi da cidade de Amesterdão, que a levou a esconder-se num pequeno anexo secreto, juntamente com a sua família e um grupo de outros judeus. Foram encontrados em Agosto de 1944 e Anne morreu um ano depois. 


Fonte: Time Out

 

A Google dedica hoje um doodle à presente efeméride. O mesmo pode ser consultado aqui (utilizar setas do lado direito das imagens, a fim de poder seguir a informação).

 

 


 

O Dia Europeu da Música celebra-se a 21 de junho, dia do solstício de verão



A primeira comemoração da data teve lugar em França, em 1982, por proposta do Ministro da Cultura deste país . No ano seguinte, reuniram-se 200.000 músicos em ruas, praças e parques, tendo a iniciativa vindo a ganhar maior significado ao longo dos anos.

A música é um elemento essencial na vida de quase todos nós. Aconselhamos, na data que hoje se celebra, a audição de algumas das vossas músicas preferidas,  com destaque para as que embelezam alguns poemas da nossa literatura. Trata-se igualmente de uma forma de ler e de prestar maior atenção às palavras.

... E como algumas composições melódicas foram criadas para musicar poemas de escritores importantes, deixamos uma delas, com letra do poeta lisboeta Alexandre O'Neill, embelezada com a musicalidade do Português do Brasil, na voz da intérprete Adriana Calcanhotto.

Para ouvir Formiga Bossa Nova  através da presente ligação.

José Saramago (1922-2010) - 18 de junho de 2022

 





Evocando o nosso Nobel da Literatura:

José Saramago (Azinhaga, Golegã, 16 de novembro de 1922 – Tias, Lanzarote, 18 de junho de 2010).

Consultar informação sobre o escritor aqui em RTP-Ensina.

Imagem: mural perto da estação de Santa Apolónia, atualmente eliminado.

13 de junho: evocando o aniversário de Fernando Pessoa


 


Lembrando a data em que nasceu o poeta, 13/6/1888 (ano em que era publicado o romance Os Maias de Eça de Queirós).
**********
No tempo em que festejavam o dia dos meus anos,
Eu era feliz e ninguém estava morto.
Na casa antiga, até eu fazer anos era uma tradição de há séculos,
E a alegria de todos, e a minha, estava certa com uma religião qualquer. (...)
Fernando Pessoa , “Aniversário “

Fonte da imagem: Arquivo Pessoa

10 de junho: Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.



   Hoje, dia 10 de junho, comemora-se o "Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas".

   Neste importante feriado nacional, presta-se homenagem ao grande poeta Luís Vaz de Camões, autor d´Os Lusíadas, a maior obra épica do nosso país. O príncipe dos poetas faleceu a 10 de junho de 1580.

   A BRG junta-se à presente celebração,  através dos versos de Miguel Torga:

 

 

CAMÕES

 

Nem tenho versos, cedro desmedido,

Da pequena floresta portuguesa!

Nem tenho versos, de tão comovido

Que fico a olhar de longe tal grandeza. 

 

Quem te pode cantar, depois do Canto

Que deste à pátria, que to não merece?

O sol da inspiração que acendo e que levanto,

Chega aos teus pés e como que arrefece.

 

Chamar-te génio é justo, mas é pouco.

Chamar-te herói, é dar-te um só poder.

Poeta dum império que era louco,

Foste louco a cantar e a louco a combater.

 

Sirva, pois, de poema este respeito

Que te devo e professo,

Única nau do sonho insatisfeito

Que não teve regresso!

 

Miguel Torga Poemas ibéricos, 1965.

 

 

Hoje, 1 de junho, é o Dia da Criança


 


Como uma criança antes de a ensinarem a ser grande,

Fui verdadeiro e leal ao que vi e ouvi.

Alberto Caeiro (heterónimo de Fernando Pessoa), Fragmentos


Créditos da fotografia: Artur Pastor, Póvoa de Varzim, década de 50 do passado século.

 

Deixamos  aqui  o acesso ao texto da " Convenção dos Direitos da Criança"