Quinta-feira, 23 de dezembro, 2021

10 de dezembro celebrou-se a Declaração Universal dos Direitos Humanos. E a Biblioteca Rui Grácio (BRG) quis juntar-se à RBE na iniciativa de criar uma imagem que espelho a vontade dos jovens na construção de um mundo melhor, um futuro onde reine a liberdade, o diálogo, a solidariedade, o respeito, a tolerância.

Eis a imagem da turma 8º C:










"Aprender a terra, aprender o trigo e ter um amigo também é estudar."


 Prestes a dar início à pausa nas atividades escolares, sugerimos-te que aproveites estes dias para dedicares um pouco do teu tempo à leitura.

Escolhe um livro de que gostes e presta (nem que o vás lendo cerca de meia hora diária) a tua atenção àquilo que lês. Ficarás surpreendido com os resultados.

Podes sempre aconselhar-te com a tua professora bibliotecária e com a tua professora de Português. Todos nós aprendemos de diversos modos, não é só no banco da escola, mas também a descobrir novos espaços, a conhecer novos amigos, a estar com a tua família, a viajar no espaço e no tempo com o teu livro para leitura de férias de Natal.

Uma vez mais, a tua biblioteca deseja-te um tempo de paz, dedicado (um pouquinho em cada dia) a conhecer livros juvenis de bons autores, o que te deixa tempo livre para outras atividades de que gostas.

... E a propósito de ler e estudar, deixamos-te um poema que te poderá surpreender:

"Estudar é muito importante, mas pode-se estudar de várias maneiras…
Muitas vezes estudar não é só aprender o que vem nos livros.

 

Estudar não é só ler nos livros que há nas escolas.
É também aprender a ser livres, sem ideias tolas.
Ler um livro é muito importante, às vezes, urgente.
Mas os livros não são o bastante para a gente ser gente.
É preciso aprender a escrever, mas também a viver, mas
também a sonhar.
É preciso aprender a crescer, aprender a estudar.
Aprender a crescer quer dizer:
aprender a estudar, a conhecer os outros, a ajudar os outros, a viver com os outros.
E quem aprende a viver com os outros aprende sempre a viver bem consigo próprio.
Não merecer um castigo é estudar.
Estar contente consigo é estudar.
Aprender a terra, aprender o trigo e ter um amigo também é estudar.
Estudar também é repartir, também é saber dar o que a gente souber dividir para multiplicar.
Estudar é escrever um ditado sem ninguém nos ditar;
e se um erro nos for apontado é sabê-lo emendar.
É preciso, em vez de um tinteiro, ter uma cabeça que saiba pensar, pois, na escola da vida, primeiro está saber estudar.
Contar todas as papoilas de um trigal é a mais linda conta que se pode fazer.
Dizer apenas música, quando se ouve um pássaro, pode ser a mais bela redação do mundo…

………

..Estudar é muito
……………..mas pensar é tudo!"

 

Ary dos Santos

 

Ilustração: © Nikolas Andrikopoulos


O Natal não é ornamento


 



    Nesta quadra festiva, a Biblioteca Escolar Rui Grácio, numa escola na qual  cabem também alunos de diversos países com diferentes culturas, nem todas as famílias irão celebrar o Natal.

    Uma coisa é certa: todos irão, nesta pausa escolar, ter mais tempo para renovar energias para o regresso no próximo ano que se avizinha.

    É nosso desejo que pensem nestes dias que nos separam (alunos, professores e funcionários) , como um momento em que deveremos renovar a nossa solidariedade para com colegas, amigos e família, com ou sem celebrações em casa.

    Trata-se, sem dúvida, de um tempo (a alargar a todos os dias e meses do calendário) para pensarmos que , como alguém afirmou um dia: “ninguém é uma ilha”, o que significa que, sozinhos, sem sabermos estar atentos aos outros, qualquer época festiva se esvazia de sentido, qualquer dia do ano nos vai retirando a capacidade de pensar, dado crescermos melhor como equipa alargada e não isolados. Precisamos uns dos outros no trabalho, na família e no quotidiano.

    Por isso mesmo te deixamos dois textos de grandes poetas – David Mourão-Ferreira e José Tolentino de Mendonça - , que nos despertam para o sentido importante da vida. Os alunos só crescem se souberem ser equipas na turma e os professores, pela profissão que exercem,  só a conseguem melhorar a cada dia pensando, para lá da "sua" sala e em equipas de trabalho. São estas mudanças a permitir a inovação numa escola que se quer deste século, uma escola que permite aos mais novos o fortalecimento do conceito de  cidadão pleno, com pensamento crítico, solidário e capaz de solucionar os desafios diários, durante e após ter cessado o seu papel de aluno.

 

*************************

Natal, e não Dezembro

Entremos, apressados, friorentos,
numa gruta, no bojo de um navio,
num presépio, num prédio, num presídio,
no prédio que amanhã for demolido...
Entremos, inseguros, mas entremos.
Entremos, e depressa, em qualquer sítio,
porque esta noite chama-se Dezembro,
porque sofremos, porque temos frio.

Entremos, dois a dois: somos duzentos,
duzentos mil, doze milhões de nada.
Procuremos o rastro de uma casa,
a cave, a gruta, o sulco de uma nave...
Entremos, despojados, mas entremos.
Das mãos dadas talvez o fogo nasça,
talvez seja Natal e não Dezembro,
talvez universal a consoada.

David Mourão-Ferreira, in 'Cancioneiro de Natal'

 

**************************


O Natal não é ornamento


[…]

O Natal não é ornamento: é movimento

Teremos sempre de caminhar para o encontrar!

Entre a noite e o dia

Entre a tarefa e o dom

Entre o nosso conhecimento e o nosso desejo

Entre a palavra e o silêncio que buscamos

Uma estrela nos guiará.

 

José Tolentino de Mendonça

 


"O livro a ler não é aquele que pensa por ti, mas aquele que te faz pensar." *

 



Para o teu contrato ou projeto individual de leitura, poderás, para além das orientações apresentadas pela tua professora de Português, recorrer ao aconselhamento da professora bibliotecária ou aos seus colaboradores.
Essa escolha permitir-te-á a escolha de livros interessantes, de autores importantes para a tua formação geral, enriquecendo o teu universo e auxiliando ao alargamento do vocabulário.
Também poderás propor, à tua professora de Português, algum livro que tenhas em casa e andes a ler. Isso irá ajudar-te a ganhares as competências leitoras mais adequadas para os futuros anos de escolaridade.
Alguns dos teus colegas já fizeram a escolha dos títulos que irão ler na pausa natalícia. A apresentação será faseada quando regressarem em janeiro e entregarão, na aula de Português, a respetiva ficha de leitura preenchida. Deste modo, para lá de melhorarem a prática de ler, irão igualmente praticar a expressão oral, a partir de tópicos registados no caderno, tendo um tempo definido para a divulgação em sala de aula, o que alarga a utilização dos domínios que de ti são esperados no final do 3.º ciclo, com recurso à expressão verbal.
A biblioteca escolar deseja-te, bem como aos teus colegas, boas leituras. Sabemos que algumas turmas já deram início a este desafio, enquadrado nas aprendizagens essenciais e no perfil do aluno do século XXI, no final da escolaridade obrigatória.
Aguardamos, da parte daqueles que já deram início ao trabalho, entusiasmo e vontade de continuar a conhecer novos mundos sem precisarem de sair do seu local preferido para uma viagem através das palavras. Convidamos os restantes a seguirem esta prática.
E, à semelhança de alguém que um dia afirmou: "temos um sonho". O nosso, entre outros dedicados à escola, é o de vermos alargada a comunidade de alunos leitores.


Créditos da imagem: © Anna Speshilova

* Harper Lee

Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?

 


“Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?’ é uma iniciativa da Rede de Bibliotecas Escolares e da VISÃO Júnior, que promove simultaneamente a leitura e a cidadania. Os alunos são chamados a elegerem os livros que mais gostaram de ler, num projeto que lhes permite perceber para que serve e como se organiza um processo eleitoral.” Além de um exercício de cidadania e de liberdade para os alunos, ‘Miúdos a Votos’ propicia um momento único para os professores conhecerem os gostos de leitura dos seus alunos, para lá da sala de aula e dos cânones ditados pelos programas escolares. A iniciativa, organizada pela VISÃO JÚNIOR e pela Rede de Bibliotecas Escolares, conta com o apoio da Comissão Nacional de Eleições, da Fundação Calouste Gulbenkian, do Plano Nacional de Leitura 2027, da Pordata e da Rádio Miúdos.

REGULAMENTO e PARTICIPAÇÃO DAS ESCOLAS

Qualquer escola, pública ou privada, com turmas entre o 1.º e o 12.º ano, pode participar. Basta inscreverem-se até 30 de novembro de 2021, preenchendo o formulário disponível aqui  até 30 de novembro de 2021. A participação das escolas será feita idealmente através da biblioteca escolar e coordenada pelo professor bibliotecário. Cada aluno poderá indicar um único livro como candidato. A sua escolha deve ser individual e absolutamente livre. Pode apresentar qualquer tipo de livro: prosa, poesia, banda desenhada, teatro. Ao preencher o formulário, o aluno deve indicar o título completo do livro e o nome do seu autor. O que deve ser nomeado é uma obra individual e não uma coleção. Os livros que vão figurar nos boletins de voto para as eleições nacionais, serão aqueles que reunirem maior número de nomeações. A partir de todos os títulos indicados pelos alunos, será constituída a lista final nacional, por cada ciclo/nível de ensino, que será revelada até 6 de janeiro de 2022, na VISÃO Júnior e no portal da RBE. 


CAMPANHA ELEITORAL

Durante a campanha eleitoral, os alunos defenderão publicamente o livro de que mais gostam. Poderão fazê-lo de diferentes maneiras (tendo sempre em conta os constrangimentos que a situação epidemiológica da doença COVID-19 determinar para a escola): através de sessões de esclarecimento com a turma, ou com várias turmas; realizando comícios em locais públicos da escola; promovendo debates entre os apoiantes de vários livros; criando materiais de propaganda, como cartazes, autocolantes, pins ou folhetos; realizando vídeos; produzindo peças de teatro, músicas, danças; utilizando as redes sociais e os meios digitais ao seu alcance. Terão igualmente a possibilidade de criar tempos de antena de rádio, que serão transmitidos pela Rádio Miúdos e por rádios locais com as quais as escolas estabeleçam parceria. A revista fará a cobertura da campanha eleitoral nas escolas, deslocando, sempre que possível, equipas de reportagem ao local, ou pedindo a colaboração de alunos para serem repórteres. Os alunos-repórteres terão de seguir os mesmos princípios éticos e deontológicos pelos quais se regem os jornalistas. A redação da VISÃO Júnior promoverá sessões de esclarecimento (através de meios digitais) sobre o que faz um jornalista. 

ELEIÇÕES

A votação decorrerá em todas as escolas a 23 de março de 2022. O processo eleitoral decorrerá segundo as regras de umas eleições políticas. Assim, os boletins de voto serão obrigatoriamente os fornecidos pela organização, que os disponibilizará em formato digital às escolas participantes, para que possam ser impressos (ou transpostos para formulário eletrónico). Idealmente, a votação será presencial, a não ser que se registem constrangimentos decorrentes da situação sanitária. Deverá haver uma urna de voto por cada ciclo/ nível de ensino, para que se faça separadamente o escrutínio dos votos do 1.º ciclo, do 2.º ciclo, do 3.º ciclo e do ensino secundário, preferencialmente na biblioteca escolar ou noutro local de fácil acesso. Devem ser constituídos grupos de alunos que acompanhem a votação, estando presentes nas mesas de voto, tal como acontece numas eleições políticas. Cada mesa de voto deve ter um presidente e dois membros. É desejável que se preveja a rotatividade destes elementos ao longo do dia, para não prejudicar a frequência das aulas dos alunos participantes. As listas das turmas funcionarão como cadernos eleitorais.


ESCRUTÍNIO

A contagem dos votos será coordenada pelo professor bibliotecário/ professor responsável (ou quem ele designar) e pelo grupo de alunos nomeado para o efeito. O resultado do escrutínio terá de ser comunicado à organização até 30 de março de 2022, através de formulário a disponibilizar oportunamente. As escolas terão de guardar os votos até 15 de abril de 2022, para o caso de ser necessário fazer uma recontagem de votos. 

APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS ELEITORAIS

Os resultados eleitorais a nível nacional serão apurados e dados a conhecer numa cerimónia pública no dia 20 de maio de 2022, a realizar na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa. A festa final contará com a participação de escolas envolvidas na iniciativa ao longo do ano. Cada escola poderá tornar públicos os resultados da votação dos seus alunos, se assim o entender, antes da divulgação dos resultados a nível nacional.

ESCOLHA DOS LIVROS CANDIDATOS ÀS ELEIÇÕES NACIONAIS

A escolha dos livros candidatos que concorrerão a estas eleições será realizada pelos alunos, através do preenchimento do formulário até 30 de novembro de 2021. Cada aluno poderá indicar um único livro como candidato. A sua escolha deve ser individual e absolutamente livre. Pode apresentar qualquer tipo de livro: prosa, poesia, banda desenhada, teatro. Ao preencher o formulário, o aluno deve indicar o título completo do livro e o nome do seu autor. O que deve ser nomeado é uma obra individual e não uma coleção. A lista final nacional, por cada ciclo/nível de ensino, será revelada até 6 de janeiro de 2022, na VISÃO Júnior e no portal da RBE. 

CAMPANHA ELEITORAL

Durante a campanha eleitoral, os alunos defenderão publicamente o livro de que mais gostam. Poderão fazê-lo de diferentes maneiras (tendo sempre em conta os constrangimentos que a situação epidemiológica da doença COVID-19 determinar para a escola): através de sessões de esclarecimento com a turma, ou com várias turmas; realizando comícios em locais públicos da escola; promovendo debates entre os apoiantes de vários livros; criando materiais de propaganda, como cartazes, autocolantes, pins ou folhetos; realizando vídeos; produzindo peças de teatro, músicas, danças; utilizando as redes sociais e os meios digitais ao seu alcance. Terão igualmente a possibilidade de criar tempos de antena de rádio, que serão transmitidos pela Rádio Miúdos e por rádios locais com as quais as escolas estabeleçam parceria. A campanha tem o seu início a 7 de fevereiro e termina a 21 de março de 2022. O dia de reflexão será 22 de março de 2022.

COBERTURA DA CAMPANHA ELEITORAL

A VISÃO Júnior fará a cobertura da campanha eleitoral nas escolas, deslocando, sempre que possível, equipas de reportagem ao local, ou pedindo a colaboração de alunos para serem repórteres. 

ELEIÇÕES

A votação decorrerá em todas as escolas a 23 de março de 2022. O processo eleitoral decorrerá segundo as regras de umas eleições políticas. Assim, os boletins de voto serão obrigatoriamente os fornecidos pela organização, que os disponibilizará em formato digital às escolas participantes, para que possam ser impressos (ou transpostos para formulário eletrónico). Idealmente, a votação será presencial, a não ser que se registem constrangimentos decorrentes da situação sanitária. Deverá haver uma urna de voto por cada ciclo/ nível de ensino, para que se faça separadamente o escrutínio dos votos do 1.º ciclo, do 2.º ciclo e do 3.º ciclo e do ensino secundário, preferencialmente na biblioteca escolar ou noutro local de fácil acesso. Devem ser constituídos grupos de alunos que acompanhem a votação, estando presentes nas mesas de voto, tal como acontece numas eleições políticas. 

ESCRUTÍNIO

A contagem dos votos será coordenada pelo professor bibliotecário/ professor responsável (ou quem ele designar) e pelo grupo de alunos nomeado para o efeito. O resultado do escrutínio terá de ser comunicado à organização até 30 de março de 2022, através de formulário a disponibilizar oportunamente. As escolas terão de guardar os votos até 15 de abril de 2022, para o caso de ser necessário fazer uma recontagem de votos. Os resultados eleitorais a nível nacional serão apurados e dados a conhecer numa cerimónia pública no dia 20 de maio de 2022, a realizar na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa. A festa final contará com a participação de escolas envolvidas na iniciativa ao longo do ano. Cada escola poderá tornar públicos os resultados da votação dos seus alunos, se assim o entender, antes da divulgação dos resultados a nível nacional. Caso surjam dúvidas, poderão as mesmas ser colocadas através do endereço eletrónico: miudosavotos@visao.pt

Miguel Torga e o outono: um desafio aos jovens leitores da BRG


Parece-nos que, subitamente, tudo se altera com a mudança para a hora de inverno. É nesta altura que o outono se faz anunciar com maior visibilidade. Já cheira a castanhas assadas, as noites tornam-se mais frias, tiramos do armário outros agasalhos.

 S. Martinho decidiu, uma vez mais, brindar-nos com o seu verão (como reza a lenda) e, através das janelas da biblioteca, vemos o sol a brilhar lá fora. Muitos poetas famosos dedicaram versos a esta estação mágica, altura em que a folhagem das árvores ganha tonalidades mais quentes, parecendo querer contrariar o frio que se avizinha. Deixamos-te o desafio de pesquisares alguns poemas ou provérbios sobre o outono, para os apresentares às professoras de Português que, na aula, te divulgarem a iniciativa. Em caso de inspiração, poderás tu mesmo escrever em prosa ou poesia sobre esta estação do ano.



Outono.
(A palavra é cansada…)
Tudo a cair de sono,
Como se a vida fosse assim, parada!

Nem o verde inquieto duma folha!
O próprio sol, sem força e sem altura,
Olha
Dum céu sem luz e levedura.

Fria,
A cor sem nome duma vinha morta
Vem carregada de melancolia
Bater-me à porta.

Miguel Torga

Leiria, 11 de outubro de 1940, 
em  Poesia Completa

sábado, 6 de novembro de 2021

Sophia de Mello Breyner Andresen, cujos contos e poemas decerto já terás conhecido nas aulas de Português, nasceu no dia 6 de novembro de 1919. Para que hoje, dia do seu aniversário, a lembremos em especial, deixamos-te um dos seus textos, intitulado "A Árvore", uma bonita lição sobre a natureza que devemos respeitar.

Sexta-feira, 14 de Outubro de 2021

OUTUBRO é o Mês Internacional das Bibliotecas Escolares. Vem participar nas atividades da tua biblioteca, na sala de aula ou em família!

Segunda-feira, 27 de setembro de 2021

A BRG trabalha com o intuito de pôr em prática as prioridades das Bibliotecas para 21/22.

Quarta-feira, 30 de junho de 2021

A BRG foi presentiada com o certificado inclusivo. O Ensino Especial tem um lugar de intervenção no trabalho da nossa biblioteca, dinamizando atividades com os alunos e recebendo-os numa experiência pré-profissional de acordo com o Plano Individual de Transição.

Quarta-feira, 23 de junho de 2021.

Em parceria com a Biblioteca, as turmas A, D e E do 5º ano, na disciplina de Educação Musical, realizaram a atividade "À descoberta dos compositores". Os alunos viram pequenos vídeos, bailado, uma exposição e, no final, realizaram um kahoot. Agradecemos à professora Cecília Miranda a sua presença com as suas turmas, dinamizando uma atividade que explorou conteúdos didáticos e alargou o conhecimento dos alunos.

Quinta-feira, 22 de junho 2021 Vencedores do Concurso de Leitura e do Passaporte de Leitura.

A biblioteca pôs em prática dois projetos que visaram a promoção da leitura: - Concurso de Leitura de Português e de Francês. A adesão foi grande e aqui ficam o nome dos vencedores.

Quarta-feira, dia 9 de junho 2011 - Vamos ler +

Hora das histórias: "Banzo, o pássaro mágico". Depois da história, a turma do Ensino Especial realizou um exercício de compreensão com a ferramenta wordwall: https://wordwall.net/resource/14429276

Terça-feira, 8 de junho 21 - Hora do Conto

A Biblioteca foi à sala do Ensino Especial para todos ouvirem a história "Quando a mãe grita". Depois foi hora de pintarem um pinguim e construírem um pinguim gigante, que ofereceram à biblioteca.

Segunda-feira, 7 de junho de 2021 - Concurso de Leitura "Ler com Emoção"

Do 2º e 3º ciclos, quase 180 alunos, participaram na primeira elininatória do Concurso de Leitura promovido pela Biblioteca Rui Grácio. Os ensaios foram muitos, o entusiasmo também. Os alunos de PLNM também quiseram participar. Passamos agora à segunda eliminatória.
A biblioteca espera-vos para mais leituras!

4 de fevereiro de 2021

A pandemia veio outra vez fechar as escolas e colocar alunos e professores dentro de casa. As aulas vão começar online e é preciso um cantinho para o teu computador e materiais escolares. Organiza-te e contribui para um ambiente propício à aprendizagem. Assim, será mais fácil e até divertido.
A Biblioteca Escolar está ao vosso lado, sempre que precisarem. Aqui fica uma sugestão divertida: https://apoioescolas.dge.mec.pt/node/1138