Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?

 


“Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?’ é uma iniciativa da Rede de Bibliotecas Escolares e da VISÃO Júnior, que promove simultaneamente a leitura e a cidadania. Os alunos são chamados a elegerem os livros que mais gostaram de ler, num projeto que lhes permite perceber para que serve e como se organiza um processo eleitoral.” Além de um exercício de cidadania e de liberdade para os alunos, ‘Miúdos a Votos’ propicia um momento único para os professores conhecerem os gostos de leitura dos seus alunos, para lá da sala de aula e dos cânones ditados pelos programas escolares. A iniciativa, organizada pela VISÃO JÚNIOR e pela Rede de Bibliotecas Escolares, conta com o apoio da Comissão Nacional de Eleições, da Fundação Calouste Gulbenkian, do Plano Nacional de Leitura 2027, da Pordata e da Rádio Miúdos.

REGULAMENTO e PARTICIPAÇÃO DAS ESCOLAS

Qualquer escola, pública ou privada, com turmas entre o 1.º e o 12.º ano, pode participar. Basta inscreverem-se até 30 de novembro de 2021, preenchendo o formulário disponível aqui  até 30 de novembro de 2021. A participação das escolas será feita idealmente através da biblioteca escolar e coordenada pelo professor bibliotecário. Cada aluno poderá indicar um único livro como candidato. A sua escolha deve ser individual e absolutamente livre. Pode apresentar qualquer tipo de livro: prosa, poesia, banda desenhada, teatro. Ao preencher o formulário, o aluno deve indicar o título completo do livro e o nome do seu autor. O que deve ser nomeado é uma obra individual e não uma coleção. Os livros que vão figurar nos boletins de voto para as eleições nacionais, serão aqueles que reunirem maior número de nomeações. A partir de todos os títulos indicados pelos alunos, será constituída a lista final nacional, por cada ciclo/nível de ensino, que será revelada até 6 de janeiro de 2022, na VISÃO Júnior e no portal da RBE. 


CAMPANHA ELEITORAL

Durante a campanha eleitoral, os alunos defenderão publicamente o livro de que mais gostam. Poderão fazê-lo de diferentes maneiras (tendo sempre em conta os constrangimentos que a situação epidemiológica da doença COVID-19 determinar para a escola): através de sessões de esclarecimento com a turma, ou com várias turmas; realizando comícios em locais públicos da escola; promovendo debates entre os apoiantes de vários livros; criando materiais de propaganda, como cartazes, autocolantes, pins ou folhetos; realizando vídeos; produzindo peças de teatro, músicas, danças; utilizando as redes sociais e os meios digitais ao seu alcance. Terão igualmente a possibilidade de criar tempos de antena de rádio, que serão transmitidos pela Rádio Miúdos e por rádios locais com as quais as escolas estabeleçam parceria. A revista fará a cobertura da campanha eleitoral nas escolas, deslocando, sempre que possível, equipas de reportagem ao local, ou pedindo a colaboração de alunos para serem repórteres. Os alunos-repórteres terão de seguir os mesmos princípios éticos e deontológicos pelos quais se regem os jornalistas. A redação da VISÃO Júnior promoverá sessões de esclarecimento (através de meios digitais) sobre o que faz um jornalista. 

ELEIÇÕES

A votação decorrerá em todas as escolas a 23 de março de 2022. O processo eleitoral decorrerá segundo as regras de umas eleições políticas. Assim, os boletins de voto serão obrigatoriamente os fornecidos pela organização, que os disponibilizará em formato digital às escolas participantes, para que possam ser impressos (ou transpostos para formulário eletrónico). Idealmente, a votação será presencial, a não ser que se registem constrangimentos decorrentes da situação sanitária. Deverá haver uma urna de voto por cada ciclo/ nível de ensino, para que se faça separadamente o escrutínio dos votos do 1.º ciclo, do 2.º ciclo, do 3.º ciclo e do ensino secundário, preferencialmente na biblioteca escolar ou noutro local de fácil acesso. Devem ser constituídos grupos de alunos que acompanhem a votação, estando presentes nas mesas de voto, tal como acontece numas eleições políticas. Cada mesa de voto deve ter um presidente e dois membros. É desejável que se preveja a rotatividade destes elementos ao longo do dia, para não prejudicar a frequência das aulas dos alunos participantes. As listas das turmas funcionarão como cadernos eleitorais.


ESCRUTÍNIO

A contagem dos votos será coordenada pelo professor bibliotecário/ professor responsável (ou quem ele designar) e pelo grupo de alunos nomeado para o efeito. O resultado do escrutínio terá de ser comunicado à organização até 30 de março de 2022, através de formulário a disponibilizar oportunamente. As escolas terão de guardar os votos até 15 de abril de 2022, para o caso de ser necessário fazer uma recontagem de votos. 

APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS ELEITORAIS

Os resultados eleitorais a nível nacional serão apurados e dados a conhecer numa cerimónia pública no dia 20 de maio de 2022, a realizar na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa. A festa final contará com a participação de escolas envolvidas na iniciativa ao longo do ano. Cada escola poderá tornar públicos os resultados da votação dos seus alunos, se assim o entender, antes da divulgação dos resultados a nível nacional.

ESCOLHA DOS LIVROS CANDIDATOS ÀS ELEIÇÕES NACIONAIS

A escolha dos livros candidatos que concorrerão a estas eleições será realizada pelos alunos, através do preenchimento do formulário até 30 de novembro de 2021. Cada aluno poderá indicar um único livro como candidato. A sua escolha deve ser individual e absolutamente livre. Pode apresentar qualquer tipo de livro: prosa, poesia, banda desenhada, teatro. Ao preencher o formulário, o aluno deve indicar o título completo do livro e o nome do seu autor. O que deve ser nomeado é uma obra individual e não uma coleção. A lista final nacional, por cada ciclo/nível de ensino, será revelada até 6 de janeiro de 2022, na VISÃO Júnior e no portal da RBE. 

CAMPANHA ELEITORAL

Durante a campanha eleitoral, os alunos defenderão publicamente o livro de que mais gostam. Poderão fazê-lo de diferentes maneiras (tendo sempre em conta os constrangimentos que a situação epidemiológica da doença COVID-19 determinar para a escola): através de sessões de esclarecimento com a turma, ou com várias turmas; realizando comícios em locais públicos da escola; promovendo debates entre os apoiantes de vários livros; criando materiais de propaganda, como cartazes, autocolantes, pins ou folhetos; realizando vídeos; produzindo peças de teatro, músicas, danças; utilizando as redes sociais e os meios digitais ao seu alcance. Terão igualmente a possibilidade de criar tempos de antena de rádio, que serão transmitidos pela Rádio Miúdos e por rádios locais com as quais as escolas estabeleçam parceria. A campanha tem o seu início a 7 de fevereiro e termina a 21 de março de 2022. O dia de reflexão será 22 de março de 2022.

COBERTURA DA CAMPANHA ELEITORAL

A VISÃO Júnior fará a cobertura da campanha eleitoral nas escolas, deslocando, sempre que possível, equipas de reportagem ao local, ou pedindo a colaboração de alunos para serem repórteres. 

ELEIÇÕES

A votação decorrerá em todas as escolas a 23 de março de 2022. O processo eleitoral decorrerá segundo as regras de umas eleições políticas. Assim, os boletins de voto serão obrigatoriamente os fornecidos pela organização, que os disponibilizará em formato digital às escolas participantes, para que possam ser impressos (ou transpostos para formulário eletrónico). Idealmente, a votação será presencial, a não ser que se registem constrangimentos decorrentes da situação sanitária. Deverá haver uma urna de voto por cada ciclo/ nível de ensino, para que se faça separadamente o escrutínio dos votos do 1.º ciclo, do 2.º ciclo e do 3.º ciclo e do ensino secundário, preferencialmente na biblioteca escolar ou noutro local de fácil acesso. Devem ser constituídos grupos de alunos que acompanhem a votação, estando presentes nas mesas de voto, tal como acontece numas eleições políticas. 

ESCRUTÍNIO

A contagem dos votos será coordenada pelo professor bibliotecário/ professor responsável (ou quem ele designar) e pelo grupo de alunos nomeado para o efeito. O resultado do escrutínio terá de ser comunicado à organização até 30 de março de 2022, através de formulário a disponibilizar oportunamente. As escolas terão de guardar os votos até 15 de abril de 2022, para o caso de ser necessário fazer uma recontagem de votos. Os resultados eleitorais a nível nacional serão apurados e dados a conhecer numa cerimónia pública no dia 20 de maio de 2022, a realizar na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa. A festa final contará com a participação de escolas envolvidas na iniciativa ao longo do ano. Cada escola poderá tornar públicos os resultados da votação dos seus alunos, se assim o entender, antes da divulgação dos resultados a nível nacional. Caso surjam dúvidas, poderão as mesmas ser colocadas através do endereço eletrónico: miudosavotos@visao.pt

Miguel Torga e o outono: um desafio aos jovens leitores da BRG


Parece-nos que, subitamente, tudo se altera com a mudança para a hora de inverno. É nesta altura que o outono se faz anunciar com maior visibilidade. Já cheira a castanhas assadas, as noites tornam-se mais frias, tiramos do armário outros agasalhos.

 S. Martinho decidiu, uma vez mais, brindar-nos com o seu verão (como reza a lenda) e, através das janelas da biblioteca, vemos o sol a brilhar lá fora. Muitos poetas famosos dedicaram versos a esta estação mágica, altura em que a folhagem das árvores ganha tonalidades mais quentes, parecendo querer contrariar o frio que se avizinha. Deixamos-te o desafio de pesquisares alguns poemas ou provérbios sobre o outono, para os apresentares às professoras de Português que, na aula, te divulgarem a iniciativa. Em caso de inspiração, poderás tu mesmo escrever em prosa ou poesia sobre esta estação do ano.



Outono.
(A palavra é cansada…)
Tudo a cair de sono,
Como se a vida fosse assim, parada!

Nem o verde inquieto duma folha!
O próprio sol, sem força e sem altura,
Olha
Dum céu sem luz e levedura.

Fria,
A cor sem nome duma vinha morta
Vem carregada de melancolia
Bater-me à porta.

Miguel Torga

Leiria, 11 de outubro de 1940, 
em  Poesia Completa

sábado, 6 de novembro de 2021

Sophia de Mello Breyner Andresen, cujos contos e poemas decerto já terás conhecido nas aulas de Português, nasceu no dia 6 de novembro de 1919. Para que hoje, dia do seu aniversário, a lembremos em especial, deixamos-te um dos seus textos, intitulado "A Árvore", uma bonita lição sobre a natureza que devemos respeitar.